Tuesday, September 12, 2006

Alexisonfire - Crisis(2006)



Como descrever os alexisonfire? Bom, grupo de feiosos(assim tipo eu,mas não tão mau) que decidem fazer uma banda no Canadá. Esta será talvez a melhor descrição para as pessoas que não se sentirem identificadas com: sim! post-hardcore, ou emocore se quiserem. Outra vez.Para não variar. enfim, esta é mais uma banda que aparece nos escaparates, depois de tantas outras já terem, mal ou bem, escavacado o género quase até à medula.

No entanto, pode-se dizer que com o muito bom "define the great line" dos underoath apareceu mais um buraquito de salvação. Ou pelo menos onde é capaz de caber uma quanta coisa para os tempos mais próximos. Um disco muito mais ambiental, com demonstrações de fé("salnarmir"), e reencontros melódicos numa atmosfera de quase sludge. Bem, e agora dizer que alexisonfire não tem nada a ver com isto, é giro?

Se não é, passa a ser. A verdade é que este "crisis", terceiro disco de originais dos canadianos, depois de um disco homónimo datado de 2003, e "Watch out!" de 2004,está muito mais perto da veia rockeira de uns dead poetic, ou mesmo dos thrice, que propriamente das atmosferas mais profundas dos Underoath. E isso nota-se bastante logo a abrir o pano, com "Drunks,lovers,sinners,and saints". No entanto de que modo é que este disco consegue ser idêntico a outros no post-hardcore, mas ao mesmo tempo ser diferente? Porque a verdade é que já vemos aqui em "crisis", uma banda com uma identidade própria, e com um rumo certo para levar os seus temas.

"Crisis" tem logo um ponto a seu favor: os refrões. Tem refrões cola-cola(a título de exemplo "keep it on wax", "we are the sound", ou "we are the end"), e consegue também ter um tema bom para servir de banda sonora tanto a filmes mainstream de terror, como também a muitos putos adolescentes norte-americanos. Falo de "This could be anywhere in the world" que é mais que claramente a música mais acessível do álbum, com um refrão muito simples ("this city is haunted/ by ghosts from broken homes..." e tal e tal) e que é possível de servir de plano identificativo com alguns putos com problemas familiares.

Por isso há refrões e canções com corpo. com estofo e profundidade, e que conseguem não fartar o ouvinte, precisamente por terem um certo sentido de rapidez, de dizerem rapidamente o que querem e para o que vêm(há até nalguns temas uma pequena influência do punk-rock como em "boiled frogs", ou "we are the end"), mas por outro lado por mexerem com emoções reais em pessoas, em vidas e situações que cada um de nós vai vivendo.

Há canções com letras sobre vidas, há refrões catchy, e há alguma busca por novidade, tanto através dessas pequenas linhas de punk-rock, como pela abordagem quase grunge em "You burn first" um tema que quase soa a stone temple pilots, com as devidas diferenças evidentemente, e onde também se nota um aprumo técnico muito razoável, por parte da banda. Até há uma abordagem ao noise no tema título, para além de distorções muito frequentes nos temas. Por outro lado, o balanço peso/melodia está muito mais bem arrumado e lógico que em muitos lançamentos do género e os dois vocalistas completam-se de forma absolutamente perfeita.

Daí que os dados estão lançados: "crisis" mais que um bom álbum de post-hardcore , é um bom álbum. Ponto. Tem temas coerentes, boa qualidade instrumental, refrões que ficam na cabeça, abordagens que conseguem abanar um pouco o género, e algo que "define the great line" dos underoath não conseguiu, uma excelente coesão entre todos os temas.Está aqui um novo buraquinho para o género. Possivelmente será o melhor disco desta onda lançado este ano, e uma compra, ou roubo, muitíssimo recomendável.

8/10

1 Comments:

Anonymous Diana said...

Alexisonfire é outra categoria! :) Muito bom, só tu para pegares numa grande banda destas!

9:05 PM  

Post a Comment

<< Home