Wednesday, July 06, 2005

TWENTY INCH BURIAL

A IDADE MAIOR


Os Twenty inch burial, são provavelmente a melhor banda de metalcore cá do burgo. com uma base de fãs já perfeitamente delineada,e um conjunto de canções que fará corar de inveja muitas bandas do outro lado do oceano, eles são uma prova viva que não precisamos de ir buscar bandas de qualidade a lado nenhum, quando as temos à nossa mão.Com a gravação de um novo álbum lá para novembro, falou-se com a banda,apesar de bastante parca em palavras:

Quais foram as maiores diferenças entre a gravação de "The void we carry", e do mais recente "How much will we laugh and smile"?
As diferenças foram gigantes, já que gravamos o "The void we carry" em apenas dois dias, enquanto que no novo disco, tivemos um mês em estúdio. E para mais, foi a primeira vez que tivemos um produtor a sério: Neste caso o Santi garcia

Recentemente gravaram um split com os with resistence. como é que surgiu esta oportunidade?
O convite partiu da State of mind Recordings, que nos viu tocar nos EUA em 2002. A partir dessa altura, começou-se a falar neste projecto. Por outro lado, tínhamos feito algumas datas na américa com os With resistance.

Há muitas bandas que se queixam do estado do underground em Portugal. Vocês são, a meu ver, um caso de sucesso dentro do meio. Como é acham que foi conseguido todo este reconhecimento,ao que se junta uma base de fãs já considerável?
Acima de tudo trabalho...Muito trabalho. Para além de dedicação e devoção a este projecto.

Porque é que decidiram incluir a cover do "Nowhere" dos therapy? no disco?Não era a escolha mais previsível...
Nós somos fãs de Therapy? Já há alguns anos. Acabámos por achar que podia resultar bem o tema, se fosse tocado dentro do nosso estilo.

Actuaram como headliners do último Animal and liberation fest. como se sentiram ao fechar um evento da envergadura que este já começa a ter?
Honestamente, não sentimos nada de especial...Se tivéssemos sido os primeiros a tocar,teria sido igual. O principal foi participar em tal evento, importante para causas, sobre as quais partilhamos das mesmas ideias.

As vossas letras falam muito sobre amores perdidos, e paixões desencontradas. ainda assim abordam, por vezes, temáticas mais políticas sobre um determinado estado de coisas(como já admitiram em relação ao significado do título deste segundo disco). como é que conseguem fazer a ponte entre assuntos, à partida, tão distantes?
È tudo fruto das nossas vidas correntes, do quotidiano onde vivemos. E de experiências: Vividas e sentidas. Enfim..De coisas pelas quais realmente passámos...Muitas delas foram romantizadas, mas sempre num contexto realístico.

Qual foi, até agora, o concerto mais inesquecível que protagonizaram?
Penso que foram todos...Ou então os que estão para vir! Encaramos os concertos sempre da mesma forma.

Tem já projectos bem definidos para o futuro próximo?

Vamos gravar o novo álbum, em novembro nos Antfarm studios na dinamarca, com o Tue Madsen(The Haunted,Heaven shall burn,etc)

E pronto.Obrigado pela disponibilidade. Fiquem bem []
Obrigado, igualmente!
Abraço!

3 Comments:

Blogger dreamertear said...

20IB \m/ e pa fui ver ontem o concerto deles no KGB pa nao 'a explicaçao BRUTAL MESMO

desde a presença deles em placo, desde q voz dele a simpatia tudo.

o novo album RADIO VENOM do melhor mesmo q abuzoo

\m/

2:14 PM  
Anonymous hannah said...

fds sem palavras! radio venom nem precisa d comentarios, nenhum lhe faria justiça! twenty inch = favorite band

8:29 PM  
Anonymous Anonymous said...

This comment has been removed by a blog administrator.

2:24 AM  

Post a Comment

<< Home