Monday, February 27, 2006

MORE THAN A THOUSAND + TWENTY INCH BURIAL+FOR THE GLORY+ONEQUAL( Club Lua- 24/02/06)




Os portugueses more than a thousand voltaram ao nosso país. Este foi o regresso da banda nacional, desde o concerto em matosinhos em setembro último, desta vez trazendo como ilustres convidados os igualmente portugueses, On Equal, For the glory e Twenty inch burial, num autêntico manifesto de vitalidade e força do underground nacional.

Antes de mais, e para quem não conhece(ou não conhece grande coisa) a banda, é capaz de ser um bocado estranho a referência de um regresso a Portugal de uma banda...portuguesa. Mas as coisas são assim mesmo: os more than a thousand estão sediados em inglaterra já há coisa de dois anos, e já não vinham actuar a Portugal, precisamente desde esse último concerto em matosinhos. Era por isso um regresso ansiado por muita gente, sobretudo pelos fãs da banda mais no centro-sul do país,porque a última actuação em Lisboa que a banda realizou, foi no superbock super rock do ano passado. E aí, foram uns escassos 20 minutos de concerto.

Mas antes de tudo actuaram os On equal. O que sei deles não é grande coisa: têm duas vocalistas, parecem andar nos trilhos do emocore,são do norte do país.
Sinceramente conhecia pouco deles, e continuei sem conhecer grande coisa: como sou um tipo esperto demorei que tempos a encontrar o club lua e, quando lá cheguei, já estavam os on equal em actuação. Por isso o motivo de regozijo enquanto se esperava para entrar, eram as caras de espanto das pessoas que iam passando por ali, ao ouvirem os temas debitados pelo grupo. Foi pena, porque gostava de ter visto se as duas meninas conseguiram rivalizar com os seus congéneres masculinos, ou nem por isso. Pelo que ouvi pareceu-me que sim.

Depois do primeiro concerto, vieram uma das bandas mais enérgicas em palco que já vi: os for the glory. È absolutamente incrível a forma em como contagiam o público, nas suas manifestações sonoras de um hardcore de cariz old-school, não devendo muito à fusão com outros géneros. Se em disco eles já são muito razoáveis, ao vivo tudo se transforma e os for the glory tornam-se uma máguina demolidora absolutamente imparável. Claramente está aqui um caso sério de enorme expressividade em palco, com uma aceitação enorme por parte de um público em constante movimento. Ainda houve oportunidade para dedicar um tema a um tal de tucho(que raio de diminutivo by the way), e de demonstrar toda a crença na força humana, e num mundo melhor que os for the glory demonstram evidenciar. Se fossem eles a mandar, estávamos agora num paraíso.

Seguiram-se os twenty inch burial, para mim uma das bandas nacionais mais promissoras dos últimos anos. Vão lançar brevemente o seu terceiro disco, "radiovenom", apesar de terem baseado a sua actuação em "how much will we laugh and smile?", o álbum anterior. Por isso, e tendo em conta o considerável culto que a banda já leva, não foi de estranhar que temas como "5 forward", "30 minutes journey", o já clássico "octopus", ou "touch me", cover de samantha fox(sim, essa mesmo a quarentona boazona britânica), tenham sido os mais aplaudidos da noite. De qualquer forma ainda deu tempo para promover o novo disco, com três temas que assinalaram toda a capacidade da banda em efectuar refrões cola-cola, sem nunca destoarem da sua habitual toada metalcore. Por outro lado, alguns recadinhos para os meios de comunicação nacionais mais influentes, também não foram de descurar, pese embora isso faça eu na conclusão desta crítica, ou seja lá o que for.



O que se deve realçar numa banda como os more than a thousand, é a sua enorme capacidade em criar hinos: Poucas devem ser as bandas à face da terra, onde cada um dos temas é um possível single, pleno de energia, emoção, ou até sensibilidade. De facto entre canções como "it's the blood...there's something in the blood", "walking on the devil's trail" ou a grande "none of us will see heaven", é à escolha do freguês, aquela que é mais passível de ser single. No caso de more than a thousand, concebo que eles tenham alguns temas mais fracos que outros: no entanto todos eles têm a inegável capacidade em não sairem das nossas cabeças.


foto: mário guilherme

Por isso (nem que fosse só por isso) o concerto da banda setubalense seria sempre bom. Felizmente que os more than a thousand, conseguiram superar a própria barreira das suas canções, acabando por demonstrarem em palco uma enorme força e vitalidade, que não passou despercebida a ninguém. Começaram por "walking on the devil's trail", passaram depois para o meu tema favorito da banda, o gigantone "the beautiful faces hide witches", indo desaguar o concerto no já clássico "none of us will see heaven". sim eu esqueço-me, que pode haver por aqui gente que desconhece a banda, por isso dá jeito dizer que eles tocam emocore, mas têm um extremo cuidado em criar uma atmosfera relacionada com o terror, que percorre um pouco cada um dos seus temas. são por isso uma das bandas mais inovadoras dentro do género, pelo menos é a minha humilde convicção.

Foi por isso um enorme concerto que fechou uma noite dedicada a sonoridades pesadas, todas elas nacionais e que demonstram que não estamos a dever absolutamente nada àquilo que se faz lá fora. O club lua estava praticamente cheio, ainda assim seria extremamente curioso ver um concerto destes num palco maior...num garage por exemplo. e a ser decentemente divulgado por aqueles iluminados que têm a mania que defende muito a música portuguesa. Esquecem-se é que a música quer-se universal e multicultural, nunca restringida a um país. ainda assim, e para aqueles que acham que faem muito por ela, estranha-se a não divulgação de um concerto deste género, nem das próprias bandas intervenientes. Uma autêntica vergonha. No entanto aqui fica a ilacção: Não é preciso virem bandas estrangeiras para darem grandes concertos. A noite no club lua foi muito bem passada, uma excelente forma de começar um fim-de-semana. Fiquem atentos,tanto a estas quatro bandas, como a tantas outras do underground nacional, que vão acabar por vir ao de cima. Porque têm qualidade para isso.

http://www.myspace.com/onequal
http://www.myspace.com/fortheglory
http://www.myspace.com/twentyinchburial
http://www.myspace.com/morethanathousand

não,eu não tenho nenhum protocolo com o myspace...acontece que a página das bandas está ou desactualizada, ou em actualização...no caso de onequal, eles ainda nem a têm.


foto: cortesia de mário guilherme- http://firstsecond.deviantart.com

2 Comments:

Anonymous Anonymous said...

This comment has been removed by a blog administrator.

2:22 AM  
Anonymous hmzhola@hotmail.com said...

muito bom de ler . . . eu "ainda" nao estou muito dentro . começo a estar . . gostei de ler, visto que ainda "aprendi" qualquer coisa, pena o que li , ja n ter ido a tempo.

cumps .

2:54 AM  

Post a Comment

<< Home