Saturday, July 14, 2007

"Live free or die hard" de Len Wiseman



Sim, acabei por meter as patas no cinema para ir ver o die hard. Também, verdade seja dita que, aparte de 2 ou 3 filmes(oceans 13, the dead girl, e o belle toujours do oliveira) pouca coisa mais estaria no cinema que me fosse capaz de me lá pôr a pata. OK, ok, talvez os outros três filmes mencionados, fossem mais capaz de me levar. Ok, talvez o filme de oliveira devesse estar num patamar mais destacado, mas caguei pronto.

Anyway, a série "die hard" sempre teve um trunfo indefensável: a completa inverosimilhança do seu enredo. Mclane safou-se de uns terroristas maus como tudo que queriam dar cabo de toda a gente dentro de um arranha céus; arriscou-se contra militares treinadíssimos que queriam dar cabo do aeroporto de washington só com o raio de um isqueiro(!), e ainda se meteu com sucesso com o irmão do mauzão do primeiro filme. Pois. Tanta gente má e um homem a varrer tudo, não é a coisa mais verdadeira do mundo. Por mais que mclane se escondesse, alguma vez aqueles desgraçados haviam de acertar.

No entanto esta versão de "me against the world" agradou a muita gente, e com razão. O primeiro filme de mctiernan é um excelente filme de acção com todos os condimentos possíveis para agarrar o espectador. Até o segundo e terceiro filmes não desapontam: todos eles metem mclane mas situações mais incrívelmente disparatadas(mas que colocam sempre um foco importante de atenção sobre o herói) e situam-no enquanto a "única esperança que resta": um tipo que irremediavelmente está no sítio errado à hora errada.

Neste quarto filme é mais ou menos o mesmo. O velhote mclane, que está divorciado e tem uma filha em plena adolescência, é ordenado a ir buscar um hacker para ele prestar depoimentos. Depois os mauzões, que são criminosos informáticos da mais fina estirpe(novinhos e tal)andam atrás do rapazinho que sabe demais, e daí até aparecer o gigante kevin smith(o grandioso "silent bob" para quem precisar de referências, é um passo. Escusado será dizer que o homem lá salva o dia outra vez, quando até um f-15(!) vai no seu encalço e sim, não o consegue matar pois claro.

como isso não interessa aqui vai o positivo:este die hard 4 acaba por ser um óptimo substituto dos outros três filmes, cumprindo plenamente a sua função. entretém o espectador, fá-lo estar por ali naquelas aventuras, a ver carros a dar cabo de helicópteros(100% verdade), e ao mesmo tempo tem efeitos especiais justificáveis, mas nunca em tamanho exagero. Humanamente mclane é o que se espera: não é uma personagem esquemática, mas também não é propriamente um prodígio em emoções. Não interessa, práfrente é o caminho. Se a adaptação de um "velhote" como willis àquelas aventuras todas foi bem feita...bem, pelo menos o que estava ali em jogo já não é propriamente do tempo dele, e isso acabou por servir como desculpa minimamente decente, para o meter a fazer as acrobacias.

Portanto estamos perante aquilo que eu considero um bom blockbuster: não faz pensar muito, entretém, dá para ver decentemente e esquecer a seguir. Não é para grande intelectualização, nem para meditação posterior, mas pelo menos não toma ninguém por parvo, e faz o que tinha de ser feito. Hoje em dia já não é nada mau.

6/10

1 Comments:

Anonymous gonn1000 said...

Concordo, não traz nada de novo mas cumpre o que lhe pedem sem desapontar. E McClane só há um :)

9:46 PM  

Post a Comment

<< Home